Sábado, 08 de Maio de 2021 04:40
82991319220
Política Política

Senador diz que recebeu ameaças em seu celular por conta da CPI

Senador declara ameaças em seu celular pela CPI

28/04/2021 23h04 Atualizada há 1 semana
Por: Redacao Fonte: uol

O senador Otto Alencar (PSD-BA), disse hoje que o governo federal tem tentado intimidar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, que teve a sua primeira reunião realizada ontem. Alencar convocou a sessão por ser o parlamentar mais velho entre os membros da CPI, com 73 anos, e disse que desde então vem recebendo ameaças pelo celular. "O governo tem apelado de todas as formas para desestabilizar a CPI", afirmou o senador em entrevista à CNN Brasil.

Antes de ser deputado federal por 28 anos pelo Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) era vereador carioca, e sempre teve o seu reduto eleitoral concentrado na capital fluminense, assim como dois de seus três filhos parlamentares — o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). 

Para Alencar, o governo Bolsonaro está por trás do pedido feito na Justiça para tentar barrar a escolha do senador Renan Calheiros (MDB-AL) como relator da CPI, o que acabou se confirmando ontem. Renan chegou a ser impedido de tomar posse como relator graças a uma decisão liminar, que depois foi suspensa.

A liminar concedida anteontem (26), na véspera da primeira reunião da CPI, atendeu a um pedido da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), aliada próxima de Bolsonaro. Hoje, ela recorreu ao TRF-1 (Tribunal Regional Federal da Primeira Região) para ainda tentar barrar a indicação de Renan à relatoria da CPI.

O senador Otto Alencar também lembrou a atitude de três senadores — Jorginho Mello (PL-SC), Marcos Rogério (DEM-RO) e Eduardo Girão (Podemos-CE) — que entraram com um mandado de segurança hoje no STF (Supremo Tribunal Federal) contra a escolha de Renan como relator. Alencar reconheceu sua surpresa com o fato.

"Confissão de culpa"

Alencar ainda disse chamar a atenção a forma como o governo Bolsonaro tem demonstrado receio da CPI, que visa investigar as ações e possíveis omissões da gestão federal na condução da pandemia, além da atuação também de estados e municípios sobre a covid-19. Segundo o senador, o governo mostra "quase uma confissão de culpa".

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias